Previsão do tempo
max. 29 | min. 25
Chuvas esparsas
Cotação
Dolar R$ 4,99
Euro R$ 5,40

Previsão do tempo

max. 29 °C

min. 25 °C

Chuvas esparsas

Fibromialgia, 90% dos casos são mulheres entre 35 e 50 anos

Patologia relacionada com o funcionamento do sistema nervoso central, atinge 2% da população mundial


Fibromialgia é uma doença reumatológica que afeta a musculatura causando dor. Por ser uma síndrome, essa dor está associada a outros sintomas, como fadiga, alterações do sono, distúrbios intestinais, depressão e ansiedade. Acomete 2% da população mundial e é mais frequente em mulheres.
Como muitas das doenças reumatológicas, a fibromialgia (FM) não tem suas causas e mecanismos totalmente esclarecidos. O que sabemos é que a pessoa que tem FM possui maior sensibilidade à dor e isso tem relação com o centro de dor no sistema nervoso. Desta maneira, nervos, medula e cérebro, fazem que qualquer estímulo doloroso seja mais intenso.

Imagem: web/divulgação

Fibromialgia caracteriza-se por dor crônica que migra por vários pontos do corpo e se manifesta especialmente nos tendões e nas articulações. Trata-se de uma patologia relacionada com o funcionamento do sistema nervoso central e o mecanismo de supressão da dor que atinge, em 90% dos casos, mulheres entre 35 e 50 anos, mas também pode ocorrer em crianças, adolescentes e idosos.

Imagem: web/divulgação

Os sintomas são muito variáveis, em aparecimento e intensidade, entretanto alguns critérios de diagnóstico podem auxiliar na suspeição clínica, dor por mais de três meses em todo ou qualquer parte do corpo, presença de pontos dolorosos na musculatura, alteração do sono e fadiga, quadro de depressão ou ansiedade, alterações do hábito intestinal, alterações cognitivas, como falta de memória ou concentração. As pessoas com FM têm maior sensibilidade ao toque, sendo que muitos não toleram ser abraçados. O diagnóstico da fibromialgia é essencialmente clínico, pela história e exame físico, e após serem excluídas outras causas para a dor e demais sintomas.

Sintomas que auxiliam no diagnótico
Imagem: web/divulgação

Todo quadro de dor persistente deve ser avaliado, especialmente quando não se identifica a causa provável da dor, como um trauma, por exemplo, tratamento deve ser multidisciplinar, incluindo medicamentos, atividade física, acompanhamento psicológico, hidroterapia e terapias manuais.

Paciente em consulta ao psicólogo
Imagem: web/divulgação

Leia também:


Compartilhar

Comentários

Registrace

15 de Mar 2023 - 12h35

Can you be more specific about the content of your article? After reading it, I still have some doubts. Hope you can help me. https://www.binance.com/cs/register?ref=V2H9AFPY

Deixe seu comentário

Notícias relacionadas

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Desenvolvido com ❤️ e ☕ por Julimar Jr.